Bioconstrução: veja como o Raízes foi construído!

Diminuir o impacto ambiental das atividades do hostel é uma parte essencial do nosso dia-a-dia: utilizamos o mínimo de água limpa possível e reutilizamos a água das torneiras e chuveiros nos vasos sanitários e no jardim. Procuramos reduzir ao máximo a geração de lixo, compostamos o lixo orgânico e levamos o resto para reciclagem.

Mas o primeiro passo foi dado antes da construção do hostel começar. Já ouviu falar em Bioconstrução? Foi esse conceito que definiu todo o nosso projeto de arquitetura, e vamos falar aqui um pouco sobre o que isso significa.

O objetivo da bioconstrução é minimizar o uso de recursos naturais de uma construção, desde o começo da obra até o fim da sua ocupação. Já parou pra imaginar o impacto da construção de uma única casa convencional? Quanto material é retirado da natureza, levado para fábricas onde é transformado em materiais de construção, transportado para lojas? Depois de comprado e utilizado, uma boa parte dele é inevitavelmente desperdiçada, colocada numa caçamba, e transportada de volta para a natureza, mas misturada com um monte de produtos químicos que impedem sua decomposição.

Para diminuir a exploração de materiais naturais, o gasto de energia e combustível na fabricação e no transporte, e a geração de resíduos, a Bioconstrução utiliza materiais disponíveis no terreno, ou perto dele, como terra, madeira, palha, e restos de materiais. Azulejos quebrados são transformados em mosaicos, garrafas de vidro incorporadas às paredes deixam entrar a luz, e por aí vai.

O projeto e a obra também devem ser totalmente integrados à realidade do clima local e da comunidade. São utilizadas técnicas que não dependem de equipamentos ou fábricas de fora, e sim de trabalho em equipe. Aqui no hostel, contamos com o trabalho de 5 moradores de Barra Grande e de vários voluntários que passaram por aqui, que seguiram junto com a gente as orientações do arquiteto.

O clima local foi o ponto de partida para a definição do desenho e do posicionamento da construção. Apesar de receber sol forte e calor o ano todo, os ambientes são fresquinhos, graças às janelas posicionadas para deixar o vento entrar de um lado e sair do outro (ventilação cruzada), e às paredes de terra, que além de econômicas e de baixo impacto, são excelentes para impedir que o sol esquente o lado de dentro. Os ambientes são todos super iluminados por vários tipos de aberturas, dispensando o uso de energia elétrica durante o dia.

Venha conhecer cada cantinho que foi desenhado, pensado e criado com muito carinho!

Sinta um pouco da energia que rolou durante todo o processo de construção e que hoje sentimos saudades! Assista o processo de criação da Parede de Hiperadobe da sala Sol!

Posted in Raizes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *